Diogo Amaral e Ljubomir Stanisic juntos “Não tenho muitos amigos, mas tu és um deles!”

Ljubomir Stanisic nunca escondeu que procura constantemente o prazer das coisas. Quando estava solteiro, o chef revela que foi um autêntico sedutor “pinei com meia Lisboa” e apenas mudou de vida, quando se apaixonou por Mónica Franco. Além disso, teve um passado ligado às dr0gas em que experimentou “tudo o que havia para experimentar”.

“Experimentei muitas dr0gas. Mas em relação ao ayahuasca nunca tive vontade de o fazer, tinha até um certo receio. Tive as melhores imagens da minha vida, resolvi três ou quatro coisas que tinha dentro de mim. Uma delas foi o meu pai. Apareceu à minha frente, muito nítido. Chorava baba e ranho e agarrava-me a pedir-me desculpa. É surreal contar isto. Disse que não podia estar mais feliz por me ter como filho e que se me tivesse dado outra educação eu não seria tão forte como sou.

Há muita dr0ga em todo o lado. Já provei tudo, mas hoje tenho dois filhos, não tenho tempo nem paciência para isso. Já tive muitos cozinheiros que se dr0gavam e foram todos expulsos. Há três ou quatro anos fiz uma adenda ao contrato: têm de mijar no copo todos os meses. Tinha alguns empregados que consumiam muito. Essa gente foi toda limpa. Posso ter passado por essas experiências, mas não as permito no restaurante.

Tenho colegas que fumam um charro e vão para a cozinha. Eu, se fumasse um charro, só conseguia deitar-me no chão a rir-me. Comigo, quando é para partir a loiça toda, bora partir a loiça toda. Mas quando trabalhas alterado não estás a trabalhar, estás a pôr o teu emprego em risco e a pôr as pessoas em risco. Agora pratico boxe, é a minha adrenalina, não preciso de dr0gas. Fumo só um charro de vez em quando, tenho aqui um pouco de erva plantada por mim no Alentejo. Produzo vinho do melhor que há, amo estas m1rdas, porque hei de meter-me noutras?”, assegurou Ljubomir.

Recentemente, Diogo Amaral também confessou que já não consome, após ter feito um tratamento numa clínica na Escócia. “Está a fazer um ano que fui acabar com a Jessica, porque ela não merecia estar a levar com uma coisa destas e fui ter com um amigo meu, irmão de coração, o Ljumobir, e disse-lhe: preciso que arranjes uma clínica e só posso ir agora porque ia estrear um filme cuja estreia não queria falhar. Ele deu-me um excerto de porrada, a Jessica também me ajudou muito”.

Antes disso, o ator já tinha deixado uma forte mensagem ao “irmão”. “Aprendi contigo que os verdadeiros guerreiros não são aqueles que sempre ganham, mas aqueles que lutam sempre… Modo lamechas…. Não tenho muitos AMIGOS, mas tu és um deles! Amo-te meu irmão”, escreveu.

Loading...

You may also like...